Mauro Mendes recebe relatório de CPI e quer Gaeco e Defaz atuando na “guerra” contra sonegadores em MT

Por
O Documento (MT)
em

O governador Mauro Mendes (DEM) recebeu no final da tarde de segunda-feira (10), o relatório parcial da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Sonegação Fiscal e Renúncia Fiscal no setor dos combustíveis. O levantamento foi entregue pelo presidente da CPI, deputado Wilson Santos, e pelo sub-relator do setor de combustíveis, Carlos Avalone, ambos do PSDB, no Palácio Paiaguás.

Os números são preocupantes, envolvendo sonegação, evasão fiscal, fraudes operacionais, adulteração de combustíveis, vendas interestaduais fictícias, vendas sem nota fiscal e meia nota, cancelamentos de notas fiscais e falsa exportação para a Bolívia. Estima-se que a sonegação anual no segmento seja de R$ 500 milhões.

“O relatório traz dados bastante consistentes, várias constatações de irregularidades feitas, principalmente, no campo de sonegação de combustível. Foram feitas sugestões ao governo e todas elas terão desdobramentos”, disse o governador.

Conforme Mendes, os números deverão ser apresentados ainda nesta semana aos técnicos da Secretária Estadual de Fazenda (Sefaz), da Delegacia Especializada de Polícia Fazendária (Defaz) e do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual (MPE), que deverão se aprofundar nas investigações sobre as irregularidades no setor, que irão se aprofundar nas investigações.

Ele afirmou ainda que os sonegadores não terão facilidade em seu governo. “Irei chamar técnicos da Secretaria de Fazenda, membros do Gaeco, da Delegacia Fazendária, todos os atores envolvidos para que possamos fazer uma verdadeira guerra contra sonegação no Estado”, garantiu.

“Estamos em Guerra contra sonegação no Estado. Sonegador não terá vida fácil em Mato Grosso. Aqueles que trabalham corretamente serão tratados com todo respeito. Precisamos melhorar essa relação. Mas ela será melhor se mais pessoas pagarem, se nós conseguirmos ter êxito no combate à sonegação”, completou.